23/05/2022

O PERIGOSO PACIFISTA | Histórias de Adriano Correia de Oliveira


Numa edição conjunta do Centro Artístico Cultural e Desportivo Adriano Correia de Oliveira e A Seita, chegou recentemente às livrarias “O Perigoso Pacifista”, uma biografia que nos traz a história da vida de Adriano Correia de Oliveira, baseada em episódios vários da sua vida, contados por Paulo Vaz de Carvalho, que com ele privou e tocou durante anos, e ilustrada por João Mascarenhas, um dos veteranos da BD nacional. 

Diz o poeta que o sonho comanda a vida. E foi o sonho por uma vida melhor e mais justa que Adriano Correia de Oliveira sempre cantou. Acima de tudo. Sendo um dos maiores vultos da música portuguesa, a par de outros, Adriano cedo percebeu a força que a música e o poema cantado podem ter na consciencialização de um povo. Fazendo uso não apenas das obras que criou na sua breve vida, mas também dos poemas e músicas de outros companheiros, assim como das raízes que brotam do ser de um povo. 

“O Perigoso Pacifista” traz-nos algumas das vivências de Adriano nas cerca de 50 páginas que compõem o livro de Banda Desenhada. Neste livro são desenhados alguns dos relatos escritos e testemunhados por alguns que com ele viveram todo um período que atravessou os anos da ditadura salazarista, até ao raiar da Liberdade, num Portugal onde quase tudo estava por fazer. As histórias relatam os períodos fundamentais da vida de Adriano: 

1942-1959, desde o seu nascimento no Porto, a sua infância em Avintes, o liceu no Porto e a descoberta da música; 

1959-1966, a ida para Coimbra, a vida académica e a importância de Adriano, juntamente com outros músicos, poetas e amigos, na recriação da canção de Coimbra (fado, balada e trova) e as suas lutas contra a ditadura fascista, tendo tomado consciência da força que a canção poderia ter, no despertar das consciências; 

1966-1982, a vinda para Lisboa e a continuação de um vincar da luta pela Liberdade, a revolução de Abril, e a sua missão, a que se comprometeu, de utilizando o canto poder tornar o seu país mais justo e bom para se viver. Muitas são as qualidades de Adriano, enquanto ser humano, amigo e companheiro, que são relatadas por todos os que com ele viveram a sua breve vida. 

O despontar de um músico e cantor obstinado por chegar a algo, de forma lúcida, olhando sempre mais à frente, contudo caminhando para coisas simples, conhecendo as suas raízes, e a importância que as mesmas têm na formação da sua identidade. Temas que ainda hoje se mantêm, atuais. 

São todas estas as questões que se pretende relatar neste livro, fazendo justiça a um dos personagens maiores da nossa História contemporânea, com o olhar próprio da 9ª Arte, que é a Banda Desenhada. 

O livro inclui um CD em que se reúnem sete dos maiores êxitos de Adriano Correia de Oliveira: 

01. Minha Mãe (1962)


03.  Cantar de Emigração (1970) 




07. Vira Velho (1980)

MÃO VERDE | "O Pequeno Ditador"


É, sim, senhor, é o pequeno ditador 
Quer maminha, quer amor, mas não quer o cobertor 
E acordou de mau humor, o pequeno ditador 
Quer chupeta, tem calor e não pede por favor 
É o pequeno ditador, é o dente, é a dor 
Quer chupeta, tem calor e acordou de mau humor 
O pequeno ditador, quer maminha, quer amor 
E sai sempre vencedor, o pequeno ditador! 
Sai sempre vencedor, o pequeno ditador! 

“O Pequeno Ditador” é o novo vídeo do projeto Mão Verde, um dos doze vídeos associados a cada uma das músicas que integram o livro-disco “Mão Verde II", apresentados mensalmente, no dia 21 de cada mês, no canal Youtube de Mão Verde. 

 A letra desta música foi inspirada pela experiência de Capicua enquanto mãe e nos desafios que as crianças representam para os pais, especialmente, nos primeiros anos de vida em que, inevitavelmente, são exigentes, querem atenção e, de forma carinhosa, se tornam “pequenas ditadoras”. 

 Na linha dos dois vídeos anteriores, “Framboesas, Escavadoras e Dinossauros” e “Panapanã”, este vídeo foi desenvolvido pelo diretor criativo e produtor Daniel Assunção com base nas ilustrações de Mantraste, o artista responsável por todas as imagens disponíveis no livro “Mão Verde II”.

INÊS APENAS | "Um Dia Destes"


Inês Apenas é apenas isto: um retrato de todas as suas emoções, onde o amor e a dor são um só. Nasceu em Paris, mas reside em Leiria desde os três anos de idade. É licenciada em música, na variante Piano Clássico, pela ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo). 

Em 2019, participou no Festival da Canção, da RTP, como back vocalist de Surma, tendo já atuado em Lisboa (Útero, Titanic Sur Mer); Aveiro (GrETUA); Porto (ESMAE); e Leiria (Marcha LGBT, Texas Bar, Teatro Miguel Franco). Inês Apenas apresenta o seu EP no Maus Hábitos (Porto), a 10 de junho. 

Ao vivo será acompanhada por Pedro Antunes (bateria), Vasco Barreiros (guitarra), João Correia (baixo) e Carolina Viana (violoncelo). A artista apresenta-se também em Leiria num evento organizado pela associação cultural RHI, a 23 de Junho, e no palco principal do festival Ti Milha, a 22 de Julho.

CARTAZ | Concerto

22/05/2022

RITA BORBA CANTA “LÁ FORA” COM PEDRO DE TRÓIA


Depois de divulgadas as canções “Chá das Cinco” e “Até Três”, a açoreana Rita Borba apresenta hoje o single “Lá Fora” e conta com a participação de Pedro de Tróia. Num exercício de libertação, sem sair do mesmo lugar, “Lá Fora” será também o título do álbum de estreia de Rita Borba, com edição a 3 de Junho. 

Já o músico e produtor Pedro de Tróia, que editou entre 2020 e 2021 os discos “Depois Logo Se Vê” e “Tinha de Ser Assim”, tem dedicado os últimos meses à escrita de canções para artistas nacionais e regressa aos palcos para actuar a 26 de Junho no Festival Inventa (Baião) e a 15 de Julho no Super Bock Super Rock. Com todos os ingredientes de um dueto contagiante, “Lá Fora” está disponível em todas as plataformas de streaming e também pode ser admirada no vídeo realizado por Gonçalo Portugal Guerra. 

 

MARIANA DALOT | "Coisas Simples"


Depois da sua estreia, no início do ano, com o lançamento do tema “No final”, Mariana Dalot apresenta “Coisas Simples”, o seu segundo single, que é agora lançado, antecipando a edição do álbum de estreia a editar em 2022, e que conta com a produção de Pity, dos The Black Mamba. Se o primeiro single foi escrito num avião, como uma carta desenhada em tons suaves de autoconhecimento e esperança, “Coisas Simples” assume uma feição musicalmente mais viva e enérgica, nunca perdendo a sua dimensão contemplativa. 

Escrita no meio da quarentena, num dia de mau tempo, a canção procurou lastros de força e de otimismo a partir de uma lista que a cantora bracarense escreveu sobre as “coisas simples da vida”. Essa lista acabou por ser musicada com ukulele, compondo a canção a que se haveria de juntar o cantor e compositor “Lour”, que acrescentou à música uma outra camada de coisas simples e belas que são, como explica a cantora, “aquilo que, na maior parte das vezes, faz mover o mundo”. 

“Coisas Simples”, música distribuída pela Universal Music Portugal, chega agora a todas as plataformas digitais e conta com letra e música de Mariana Dalot e Lour e produção de Pity, músico e produtor que tem trabalhado com nomes como Ana Moura, Dino D’ Santiago, Cuca Roseta, Bárbara Tinoco, entre outros, para além de integrar o grupo The Black Mamba.

VIVIANE | "Cenas"


"Cenas" é o single que antecede a edição do álbum Quando tiveres tempo a 27 de Maio. Mas do que nos fala este tema "Cenas"? Viviane diz-nos que "este tema é a história de uma rapariga que procura chamar a atenção e conquistar o rapaz por quem está apaixonada. A rapariga está determinada a chamar a atenção do rapaz mesmo se para isso ela tiver que fazer uma “cena” para ele ver que ela existe…

"Cenas" é um dos temas neste novo álbum de Viviane que conta com uma colaboração. Neste caso, a do músico e compositor Luiz Caracol que escreveu a letra. Para Viviane esta colaboração foi natural até porque "já conheço o Luiz Caracol há vários anos, somos amigos e até cheguei a ser colega dele numa agência de espetáculos. Gosto das letras do Luiz e então surgiu naturalmente a ideia de lhe pedir uma letra para o meu novo CD.

Outro aspeto curioso em Cenas é o videoclip que o acompanha. Realizado por Aurélio Vasques (colaborador da artista em outros videoclipes e fotos promocionais) que segundo Viviane "... tem realmente um olhar fotográfico muito especial, bom gosto e confio sempre no seu trabalho. O conceito inicial do vídeo surgiu dele e eu sugeri que houvesse elementos tradicionais (rancho folclórico de Santo Estevão, adufeiras etc…) por causa de algumas passagens da letra…”que amanhã vai haver São João”… e também porque no arranjo musical entram adufes". 

Lembramos que Cenas é já o quarto single a ser editado antes do álbum Quando tiveres tempo: o single homónimo saiu em junho de 2020, o tema Oh! Meu pequeno país (vencedor de um prémio atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores em agosto de 2020 e, por último, Mundo Digital em setembro de 2021). "Quando tiveres tempo", é o nome do novo álbum da artista Viviane a ser editado em maio no nosso país, pela Zipmix Records (que pertence à própria artista) e em Junho na Alemanha pela O-Tone Music (Trilok Gurtu, Bobby Sparks, Tanita Tikaram ou Suzanne Vega entre outros). 

A distribuição do CD físico em países como a Alemanha, Suíça, Áustria, Benelux e Polónia fica a cargo desta mesma editora. A O-Tone também fica encarregada do Booking para estes países.

21/05/2022

SEAN RILEY EM CONCERTO


Já não há bilhetes para o espetáculo de apresentação do novo disco de Sean Riley - Andaluzia - a 26 de Maio na ZDB em Lisboa. Ainda há alguns bilhetes à venda para a apresentação no Passos Manuel no Porto a 2 de Junho. A edição especial em vinil do disco de Sean Riley com The Legendary Tigerman - Andaluzia - esgotou em poucas horas. 

Em novembro de 2021 Sean Riley e The Legendary Tigerman retomaram a sua viagem juntos. Partindo de onde tinham ficado em 2018 com California - álbum gravado em motéis durante uma road trip no estado norte americano - voltam agora aos discos com Andaluzia.

"ROSA PANO" DE LUÍS PESTANA GANHA NOVA VIDA EM VINIL


Editado originalmente em 2020, “Rosa Pano” tem agora uma segunda vida em vinil. O álbum de estreia de Luís Pestana é uma invenção de uma mixtape que fascina desde o primeiro momento. Segundo o próprio, foi incentivado a criar um som assim para procurar o seu próprio folclore. 

Folclore ou não, o que ouvimos é uma coreografia – bem encenada – de experiências sonoras coladas com belos sentidos narrativos e de proporção. Nada soa a mais em “Rosa Pano” e tudo encaixa com à-vontade de música que quer implicar um futuro, com um sentido realista de urgência. Entre o sonho e o terreno, “Rosa Pano” é um persistente encantamento que, agora, tem uma merecida segunda vida em vinil.

DEAFKIDS REGRESSAM AO PORTO PARA TRIPLO CONCERTO NO CAFÉ AU LAIT


Os Deafkids estão de regresso aos concertos em Portugal para uma data tripla no Café Au Lait no Porto. O ciclo arranca a 14 de Junho com um concerto especial que conta com a participação de Ece Canlı, no dia seguinte (15 de Junho) o coletivo apresenta o seu set de atual e a 16 revisita o seu primeiro disco de originais Configuração do Lamento. Os bilhetes para cada uma das datas custam 7 euros, sendo ainda possível adquirir um passe geral para todos os concertos pelo valor de 15 euros. Ingressos já disponíveis em bol.pt

Power trio brasileiro que cruza vários aspetos do punk hardcore iniciático, várias declinações do metal, e uma tribalização rítmica que é uma versão de hard’n’heavy psicadélico à Sepultura via Motorhead, com uma data de momentos mais para o abstrato, com muito trabalho da cartilha do rock cabeludo cheio de delay. 

Com o Brasil num estado, mais um, de novas e muito complexas convulsões, os Deafkids assumem eles próprios estar a tentar perceber, através dos seus vocabulários, o que significa ter nascido e crescido num país colonizado.

OLIVAE | “Flying To The Dream”


Olivae, músico autodidata, iniciou o seu percurso na música com formação musical e aulas de instrumentos (como piano e percussão). Contudo, só a partir de 2016 é que realmente começou a compor as suas canções. Desde então, tem gravado diversos temas num registo folk, acústico, suave e, por vezes, melancólico, geralmente acompanhado apenas por uma guitarra acústica e pela voz da Sara Teixeira (aka Teixara). 

A 21 de Maio divulga o seu mais recente álbum: uma compilação de singles originais lançados desde 2020 e uma série de novos temas não divulgados anteriormente. O single de apresentação – “Flying to the Dream” –, é uma canção que representa, para o artista, um ponto de viragem, seja na sua forma de compor, seja na sua vida pessoal e percurso profissional.

 

BLAYA E MOULLINEX JUNTOS EM “DEIXA PRA LÁ”


Blaya e o reconhecido produtor Luís Clara Gomes (a.k.a. Moullinex) juntam os seus talentos num incrível tema que vai seguramente surpreender. A música, que tem produção de Moullinex e letra de Blaya, foi gravada por João Barradas e misturada por Bruno Gonçalves. O novo tema conta ainda com um vídeo promocional que está disponível na plataforma YouTube. Realização esteve a cargo de Afro Digital com edição de Johel Almeida.

“Deixa Pra Lá” faz parte do EP de título “Jungle Disco” que inclui ainda o single lançado recentemente, “Colchão”, que esteve já vários dias no Top dos vídeos de música mais populares do YouTube, e ainda aí poderemos encontrar mais dois novos temas. “Jungle Disco” está com data de edição marcada para dia 27 de Maio.

20/05/2022

SENSIBLE SOCCERS EDITAM "MANOEL" EM VINIL


Álbum-acontecimento lançado no final do ano passado, o quarto registo dos Sensible Soccers é mascarado de um conjunto de temas para duas bandas-sonoras mas é bem mais do que isso: um álbum inteiro onde exploram géneros com uma fluência admirável. Reanimamos este belo "Manoel", hoje, com a chegada da sua edição em vinil.

FUMO NINJA | Lisboa


Fumo Ninja - a nova formação de Norberto Lobo (baixo) Leonor Arnaut (voz) Raquel Pimpão (teclas) e Ricardo Martins (bateria) - apresentam o álbum de estreia, "Olhos de Cetim", num concerto na próxima quinta-feira, 26 de Maio, às 22.30h, no Lux Frágil, em Lisboa. 

Rasgando com tekko-kagis o tecido da realidade, Fumo Ninja embarcam numa viagem exploratória desde o fundo dos oceanos ao concílio dos deuses. Descartam os astrolábios e coordenadas celestes, crendo que os tesouros só se encontram na arte do mergulho livre, fora de órbita. 

Descobrem um universo com jardins suspensos, golfinhos em chamas, boomerangs galácticos e segredos marítimos. Transcrevem as melodias das ninfas digitais, dos humanos calvos e angelicais e das plantas que nos regam, em aspersão cósmica. Não há remendo nem certeza. Restam as quimeras de linho e os olhos de cetim. 

Os bilhetes para o concerto custam 10€ e estão à venda na Ticketline.

CARMINHO PREPARA O PRÓXIMO ÁLBUM EM ESTÚDIO


Carminho está a trabalhar no próximo álbum de originais, aquele que será o 5º trabalho de inéditos. 
Em estúdio Carminho contou com os músicos que a acompanham regularmente: André Dias (guitarra portuguesa), Flávio César Cardoso (viola), Pedro Geraldes (guitarra elétrica / lapsteel), Tiago Maia (baixo) e ainda de João Pimenta Gomes (sintetizadores modulares e mellotron). A edição do novo álbum ainda não tem data confirmada.
/>